[PT] Casado (♂x♂) 65

Cap novo de Casado (♂x♂)
Que casal bonito. Que casal formoso.
Espero que gostem do último cap de Casado

English readers, here’s the English version

 

Capítulo anterior

Casado (♂x♂) 65

Thomas só conseguia piscar. Ele não fazia ideia do que deveria fazer. Não fazia ideia do que estava acontecendo. Ele estava na sala de estar de um lar de idosos. A mobília foi movida e reorganizada para virar uma capela que poderia acoplar dez pessoas, e, nesse momento, todos os assentos estavam ocupados.

Eles estão todos olhando pra mim… Não acredito que o Lin me enfiou nisso, pensou, arrumando a gravata. Apesar da situação incomum e vergonhosa, ele não se importou.

Fazia algumas semanas desde que saiu de seu antigo emprego e trabalhava em tempo integral no jogo. Ele estava tentando descobrir como implementar algumas das ideias do Mestre quando Lin ligou para ele.

— Oi, amor. O que foi? Quer que eu te busque?

Embora fosse o carro dele, como Thomas estava trabalhando em casa, Lin quem estava usando mais o veículo agora. Ele tentava usar o ônibus o máximo que podia para economizar dinheiro. Hoje, Thomas estava com o carro porque saiu para fazer compras mais cedo.

— Na verdade, preciso que você venha aqui — disse Lin.

— Por quê? Aconteceu alguma coisa?

— Lembra daquele showzinho que a gente faz pra alguns dos pacientes?

A clínica onde Lin trabalhava tinha uma parceria com um lar de idosos e o hospital. Duas vezes por semana, os fisioterapeutas e alguns médicos iam e, ao fim do dia, junto aos funcionários do lar, eles faziam um pequeno teatro para os pacientes de Alzheimer.

Geralmente era um casamento, mas às vezes faziam uma proposta, ou membros de família se reunindo após anos. Alguma coisa para fazer os senhores de idade sorrirem, e funcionava, apesar de, segundo Lin, a falta de capacidade de atuar da maioria.

— É. Hoje é sua vez? — perguntou Thomas. — Ainda que seja mentira, vou ficar com ciúmes se você se casar com outra pessoa. Mesmo se for mulher.

— É por isso que liguei. — Lin riu. — Uma médica acabou em um acidente de carro. Ela está bem, mas o médico com quem devo me casar precisou substituir ela e está fazendo uma cirurgia agora. E, para piorar, o cara que fez o padre teve que sair mais cedo porque o filho ficou doente.

— Você está se casando com um cara? Pelas minhas costas?

— É. Sinto muito que esteja descobrindo assim. Prometo que foi um casamento puramente político — brincou ele.

— Isso melhora um pouco as coisas. Mas não sei como me sinto sendo o amante.

— Aposto que se sente sujo e excitado em dormir com um cara casado.

— Um pouco. — Thomas não conteve o riso. — Por que você é a noiva, aliás?

Houve um momento de silêncio. Ele sabia que Lin estava com vergonha.

— O terno que usamos normalmente estava sujo e o novo fica muito frouxo. Parecia uma criança usando as roupas do pai — murmurou.

— Quero ver. — Thomas imaginou por um instante. Ele sorriu com a imagem mental.

— É, sem chance.

— Então é por isso que te colocaram em um vestido.

— Sim…

— Ele serve?

— É um pouco apertado, mas sim.

Mesmo se ver, ele sabia que seu amado estava corando.

— Quero ver você de noiva… como a minha noiva…

— Se vier agora e fingir se casar comigo, você pode.

— Estou a caminho.

Não acredito que concordei de imediato só porque o Lin está em um vestido de noiva… Eu faria de qualquer jeito, mas sou facilmente manipulável…

E não acredito que estou feliz. Sei que é só faz-de-conta, mas quero me casar com ele.

Ah é, agora que penso nisso, quando eu jogo The Zims, minhas esposas sempre tem a cara dele. Acho que meu eu jovem estava prevendo o futuro.

Ele olhou para o relógio na parede. Já é tão tarde, hein? Acho que é realmente um casamento falso, pensou, rindo para si mesmo. Ele era o único no altar agora. Eles ainda precisavam de um substituto para o padre. E ele ainda não havia visto Lin de vestido.

Enquanto esperava, os velhinhos conversavam entre si. Parecem felizes. Se Lin não se importasse, me caso com ele mais vezes.

Um homem de terno segurando uma bíblia entrou na sala.

— Você é Thomas, não é?

— S-Sim.

— É um prazer conhecê-lo. Serei seu padre — disse, oferecendo uma mão.

Embora estivesse surpreso, ele apertou a mão.

— Obrigado.

Enquanto o homem ficava em sua posição, a marcha de casamento começou a tocar. Nos fundos, Thomas só podia ver uma das colegas de Lin segurando um pequeno alto falante.

Um instante depois, a noiva apareceu. Embora fosse um vestido branco simples, Lin estava lindo. A maquiagem leve apenas enaltecia sua beleza.

Ele está perfeito… Era a única coisa na qual Thomas podia pensar enquanto observava o homem que amava subir o altar até ele, com um sorriso estampado no rosto vermelho.

Ainda que seja só fingimento, quando Lin ergueu a cabeça e sorriu para ele, Thomas se sentiu o homem mais sortudo do mundo.

Ele mal ouviu o padre, perdendo-se no olhar de Lin. Só despertou quando ouviu a famosa pergunta, aquela que sonhou em ouvir desde que percebeu seus sentimentos por seu amigo de infância, a pessoa com quem dividiu todas as partes importantes da vida e queria dividir seu futuro também.

— Você, Thomas, aceita se casar com Lin?

— Aceito — disse, sorrindo.

— Você, Lin, aceita se casar com Thomas?

— Aceito — disse Lin, com um sorriso tão grande quanto o do namorado.

— Então eu os declaro casados. Podem se beijar.

Enquanto faziam como o padre mandou, a plateia aplaudiu.

Quando pararam o beijo, eles olharam nos olhos um do outro, com os sorrisos ainda maiores.

Isso é tão oficial, pensou Thomas enquanto eles assinavam a certidão de casados. Segundo Lin, que ouviu pela enfermeira do lar de idosos, eles não costumavam fazer isso, mas um dos senhores reclamou que era tudo falso e isso irritou a todos. Ele foi um padre e se lembrava daquela parte.

Enquanto caminhavam até a sala de estar, a equipe do lar de idosos ajudou os senhores de idade a voltarem para seus quartos.

— Finalmente nos casamos — disse Thomas, ainda sorrindo.

— Sempre sonhei em como isso seria.

— E como está sendo?

— O que eu sempre sonhei — disse Lin, envolvendo os braços ao redor do pescoço de Thomas e o puxando para um beijo mais próximo. — Mal posso esperar para nossa lua de mel.

— Estou com tanta inveja — disse uma das colegas de Lin.

— Tirei a sorte grande — disse ele, sorrindo.

— Para de pisar na ferida. Já é ruim o bastante um cara como você ficar melhor de vestido do que eu.

— Com licença, mas acabei de ouvir, e você é um homem? — perguntou o padre.

— S-Sim. Por quê?

Ele parecia surpreso e confuso. Depois sorriu.

— Nunca pensei que casaria dois homens na minha vida. Os tempos mudaram.

Houve um momento de silêncio enquanto os outros entendiam o que ele disse.

— Espera. Como assim, nos casar? Você é um padre de verdade? — perguntou Thomas.

— Sim. — Ele parecia confuso. Depois se afastou quando um dos senhores o chamou.

Lin e Thomas olharam um para o outro e depois para a colega de Lin.

— Eu não sabia! — disse ela de vez. Ela estava mais surpresa que eles. — Eu tava falando no telefone pra encontrar alguém pra ser o padre, e aí ele apareceu e se voluntariou. Ele tá visitando a mãe. Não tinha como eu saber que era um padre de verdade!

— E-Espera… Precisamos descobrir se isso é um casamento real — disse Lin.

— V-Vou ligar para a minha prima. Ela é advogada — disse ela, pegando o celular. Lin e Thomas não disseram nada enquanto aguardavam. Após alguns minutos, ela desligou. Enquanto colocava o celular no bolso do jaleco, ela olhou para o chão. — Ela disse que, já que os dois assinaram a certidão de casamento e houve testemunhas, estão oficialmente casados.

— Quê? — perguntaram ambos ao mesmo tempo.

— M-Mas podem conseguir anular isso!

Thomas olhou para Lin. A ideia de desfazer o casamento, ainda que tenha sido dessa forma, deixava um gosto ruim na boca. Quando ele deixou a ideia para lá, ergueu a mão.

— Não quero.

Lin parecia surpreso. Depois ele sorriu e ergueu uma sobrancelha.

— Quer continuar casado?

— Eu te amo, Lin. Não foi como eu esperava, mas sei que iríamos acabar nos casando uma hora. Apenas aceleramos um pouco.

— Você é um amor. — Ele ficou vermelho e apertou a mão de Thomas.

— Você é ainda mais. — Eles se beijaram novamente.

— Entendeu que nossas famílias, especialmente nossas mães, vão nos matar por ter feito isso, certo? — Lembrou Lin. — Acabamos de negar um casamento a eles. E um gay, além disso. Conhecendo as duas, aposto que estavam planejando uma festona.

Thomas estremeceu com a ideia de contar as boas novas para sua mãe e sogra.

— S-Sim, mas o que tá feito está feito. Quando estivermos prontos, vamos contar a elas e aí deixamos que façam a festa que quiserem.

— Se você diz. Estou esperando que meu homem me proteja.

Thomas sorriu e abraçou seu amado, que agora era, e para sempre seria, seu marido, sua família.

Capítulo anterior

Obrigado por lerem até o final
Espero que tenham gostado desse casal.
Eu nem lembro quando pensei em Casado, mas fico feliz que tenha escrito. Foi muito divertido escrever Tom e Lin descobrindo seus sentimentos e se apaixonando. Espero que tenham gostado e se divertido com a jornada deles

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Casado? and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to [PT] Casado (♂x♂) 65

  1. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 64 | PHMMoura

  2. Rayssa Marques. says:

    Misericórdia, que história incrivel. Muito obrigada por Casados, eu nunca li uma historia tão linda como essa. Estou apaixonada, foi simplesmente perfeito, tá de parabéns.

    • phmmoura says:

      ♥♥♥ Fico muito feliz que tenha gostado XD
      Obrigado por comentar. Isso me deixa muito satisfeito por ter escrito Casado XD

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s