[PT] Casado (♂x♂)? 30

Cap novo de Casado (♂x♂)
Depois de uma conversa muito interessante com Nelson, o que Thomas fará?
Se bem que depois de um casamento desses, o melhor é descansar. Nada mais pode acontecer… não é?
Espero que gostem do cap

English readers, here’s the English version

 

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Casado (♂x♂)? 30

— Foi massa — disse Lin, com a voz meio sonolenta enquanto entravam em casa. — Até você precisa admitir. Vai, diz. Diz…

— Tá, foi divertido… — Graças a você.

— E ficou com medo de descobrirem a gente. — Lin deu um tapa brincalhão na bochecha dele. — Você se preocupa demais.

— Alguém descobriu… Não pode tá tão bêbado pra ter esquecido — murmurou Thomas.

— O Cris e o Nelson não contam. Eles são que nem a gente! — Lin riu e se inclinou contra o amigo enquanto ele fechava a porta da casa deles.

— Bem, eles não são exatamente como a gente…

— Você se preocupa muito como os detalhes… Sempre foi assim. Deixa pra lá. Let it go. Lerigou. — Lin cutucou ele na bochecha.

— Você ficou tão bêbado que deu pra falar em inglês agora… E não é um detalhe… Eles são… você sabe, um casal de verdade…

— E a gente não é?

Thomas engoliu em seco e olhou para o homem inclinado contra si com um rosto sonolento.

— D-Do que você está falando…?

— Somos um casal de amigos! — disse Lin com um grande sorriso, envolvendo Thomas com os braços.

— É disso, então… — Ele desviou o olhar e corou.

— Hein? Quer ser mais do que só melhores amigos? Quer que a gente seja como o Cris e o Nelson?

— Eu… — Thomas sentiu seu rosto todo esquentar enquanto olhava para Lin.

Ele tá falando sério? Ao menos tem noção do que eu estive pensando?

Não, calma, ele tá bêbado… Ele não tá falando do mesmo que eu…

— E aí? Quer ou não? — perguntou Lin de novo já Thomas nada dissera por muito tempo.

— Acho que você tá bêbado e deveria ir pra cama…

— Você tem razão! — Lin ergueu os braços e os envolveu no pescoço de Thomas, aproximou os rostos dos dois e perguntou com uma voz baixa, mas séria: — Mas não estou com sono nem bêbado demais pra que possa fugir da minha pergunta. Me diga. Quer que a gente seja como o Cris e o Nelson?

Thomas desviou o olhar, seu rosto mais quente ainda.

Lin colocou uma mão no queixo do amigo e o forçou a encará-lo nos olhos.

Enquanto olhava para aquele par de olhos, Thomas sentiu seu coração bater mais alto. Para evitar o olhar do loiro, ele abaixou levemente seu campo de visão. E então viu os lábios do amigo.

Os lábios de Lin, levemente rosados e brilhosos por causa do batom, estavam ainda mais sedutores.

Eu… eu quero beijar esses lábios… quero beijar ele…quero beijar o Lin!

— Você tá quieto há tempo demais — sussurrou Lin, se aproximando ainda mais.

Thomas podia sentir o calor emanando do homem com os braços ao redor de seu pescoço.

Sua mente pensou em tudo que ele viveu com o Lin. Do primeiro beijo à primeira vez deles. Depois ele se lembrou do seu primeiro amor, e só conseguia visualizar o Lin naquele vestido.

O Lin tem sido o meu tudo… Meu primeiro amigo e amor… Ele foi o meu passado, meu presente… e não tem como ficar de fora do meu futuro… Eu quero ter ele ao meu lado pelo resto da minha vida!

Thomas se aproximou e selou seus lábios com os de Lin, beijando o homem que queria, porém, parte dele resistia.

Lin retribuiu o beijo.

Não foi um beijo apaixonado como aquele que tiveram durante o apagão. Foi um beijo leve e breve. No entanto, havia algo diferente de todos os outros beijos que já tiveram.

Não foi somente um beijo cheio de amor; ele continha todos os sentimentos com os quais ele vinha batalhando, tudo o que sentia por Lin. Aquele beijo continha tudo.

Quando eles separaram seus lábios, olharam um nos olhos do outro.

— É isso que você realmente quer? — perguntou Lin em voz baixa.

Thomas sentiu seu rosto ficar quente, mas não desviou o olhar. Em vez de dizer sim, ele beijou Lin de novo.

— Eu amei você como um amigo há vida toda — disse Thomas, assim que pararam o beijo. — Mas, recentemente, eu tenho pensado cada vez mais em você. Não consigo imaginar a minha vida sem você. Na verdade, eu não quero. Eu quero ficar com você. Como mais do que amigos.

— Mesmo se formos dois caras?

— Não importa. Eu te amo. Eu amo você, Lin. — Apesar do rosto ficar muito vermelho, Thomas olhou bem nos olhos do homem que amava.

Os olhos de Lin ficaram úmidos e ele sorriu.

— Eu te amo também — disse, e eles se beijaram de novo.

Quando pararam, Lin tocou o nariz de Thomas com o seu. Depois eles riram ao mesmo tempo.

— Por que você não disse isso antes? — perguntou, ainda sorrindo.

— Por que você não disse antes? — retrucou Thomas.

— Como eu poderia? Depois da noite em que transamos, você ficou todo nervoso e me evitou!

— Ah é? Bem… é!

Houve um momento de silêncio. Então, eles olharam um para o outro e os dois riram de novo.

— O que foi isso? — perguntou Lin.

— Eu sei lá.

Lin balançou a cabeça, com um sorriso fraco. Depois abriu os braços.

Demorou um instante, Mas Thomas abriu seus braços também. Antes que pudesse abraçar o homem que amava, Lin pulou em seus braços e envolveu as duas mãos ao redor de seu pescoço de novo.

— Espera! O que você tá fazendo? — Thomas precisou de esforço, mas conseguiu segurar o amigo.

— Eu sempre quis ser carregado por você de novo — disse Lin, quase gritando de felicidade, o rosto sorridente.

— De novo?

— Você fez isso quando a gente era criança, lembra? Conseguiu me carregar em seus braços até a minha casa por causa de uma aposta.

— F-Foi, mas você não era tão… grande!

— Você quis dizer gordo, né? — disse Lin, toda a alegria sumiu de seu rosto. — Vamos mesmo começar nosso novo relacionamento com você me chamando de gordo?

Thomas não disse nada. Enquanto segurava Lin, ele podia sentir o suor frio escorrendo pelo pescoço.

Calma… Esse é o primeiro desafio… Não posso dizer nada idiota… Faz, tipo, trinta segundos desde que a gente começou a namorar… Não posso irritar ele tão rápido… Se conseguir, vai ser um recorde mundial!

— Hã… N-Não foi… bem isso…

Lin olhou para o rosto dele sem demonstrar expressão alguma. No instante seguinte, ele riu.

— Tô brincando! — Ele agarrou o rosto de Thomas e deu um beijo breve, mas intenso.

Thomas ficou muito corado. Ele ainda tira uma comigo… Acho que é assim que a minha vida vai ser… Não parece ser tão ruim…

Ele olhou para Lin, que ainda ria. Embora amasse ouvir aquela risada, agora estava sendo irritante. E sabia a forma perfeita de calar seu amigo e agora namorado.

Enquanto Lin ria, Thomas o beijou.

O homem de vestido ficou surpreso. Depois retribuiu o beijo.

— É assim que você vai me calar de agora em diante? Com um beijo? — perguntou Lin, com um sorriso provocante.

— Provavelmente. Q-Que foi, algum problema com isso, h-hein? — Thomas queria soar confiante, mas gaguejou. Droga… Eu queria pagar de bonzão na frente dele…

— Nenhum… — Dessa vez foi Lin quem uniu os lábios dos dois.

Enquanto se beijavam, os músculos de Thomas reclamaram. Seus braços ficavam mais cansados a cada segundo. Ainda assim, ele se recusou a abaixar Lin. Em vez disso, levou o homem que amava até o quarto.

Ao perceber o que Thomas queria, Lin interrompeu o beijo e mostrou um sorriso malicioso.

— A gente acabou de começar o namoro e você já quer meu corpinho nu. Que feio.

Eles se aproximaram da cama, e Thomas o colocou gentilmente sobre ela.

Lin abriu os braços e o puxou para a cama sem qualquer restrição. Ele riu, mas assim que sua risada foi sumindo, substituída por um ronco leve.

— Lin…? Lin…? — Thomas chamou, em voz baixa.

Não houve resposta. O homem que amava havia caído no sono.

Ele não soube como reagir. Enquanto observava Lin dormindo, pacífico, não teve jeito além de sorrir. Ele é lindo demais… Tenho muita sorte de ter ele…

Embora o sangue estivesse indo para aquele lugar, ele não quis atrapalhar seu amado.

A gente não precisa ter pressa… Estamos juntos… Agora e pro resto de nossas vidas…

Thomas pegou seu cobertor, mas, conforme o colocava sobre o homem que amava, Lin murmurou algo e o puxou para a cama.

Thomas tentou se afastar sem acordar seu parceiro, mas Lin era forte demais para ele. Então, desistiu e abraçou Lin.

Ainda dormindo, Lin sorriu e se aconchegou ao namorado.

E, assim, Thomas foi dormir, sentindo-se o homem mais sortudo na face da Terra.

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Obrigado por lerem
Espero que tenham gostado.
Depois desse final, só tenho isso a dizer
Casal mega fofo, mas muito enrolado. Vixe.
Mas espero que tenha valido a pena XD
Semana que vem vai ter uma pequena pausa, mas Casado (♂x♂) volta daqui a duas semana

Até sair o próximo cap, curtam outras histórias BL como Por Favor Me Chame de Professor e O Nadador e o Assistente

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Casado? and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to [PT] Casado (♂x♂)? 30

  1. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 29 | PHMMoura

  2. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 31 | PHMMoura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s