[PT] Casado (♂x♂)? 26

Trazendo a continuação do último cap
Espero que gostem

English readers, here’s the english version

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Casado (♂x♂)? 26

— Eu… — Lin não fazia ideia. Ele parou para imaginar por um instante.

Eles estavam, como sempre, apreciando a companhia um do outro, quando o Thomas em sua imaginação segurava a mão de Lin e o olhava nos olhos. Envergonhado, ele dizia que o amava e queria ser mais do que amigo. Então ele aproximou o rosto para beijá-lo.

O rosto de Lin ficou vermelho na hora. No entanto, um sorriso aparece em seus lábios e ele não faz nada para parar.

— Não sei — admitiu ele para Karina, em voz baixa. — Mas eu ficaria feliz se ele quisesse…

A mulher ficou quieta por um tempo, antes de dizer:

— Lin, não vou dizer que você precisa ficar com ele. No fim, a escolha é sua. Sua e do Thomas. Mas eu vou deixar isso bem claro. Acho que a maioria das pessoas no mundo procura por algo como o que vocês dois tem. Sério, pense bem nisso. Me promete que vai pensar.

Lin fechou os olhos e brincou com os dedos, tendo cuidado cuidado para não arruinar a manicure.

— Sim… — murmurou ele.

— Ótimo. — Karina sorriu, assentiu e depois continuou a cuidar da maquiagem de Lin. — Agora vamos deixar isso de lado. Eu vou te deixar tão lindo que o Thomas vai se apaixonar todo por você e não vai conseguir dar conta do desejo dele. Com sorte, os dois vão repetir aquela noite da formatura. Durante o casamento de preferência. Seria um arraso.

Lin resmungou, não disse nada e mostrou um sorriso relutante, feliz que estava de olhos fechados e não precisava olhar no rosto da amiga.

Eu e o Tom… Não seria nada ruim… Jamais me imaginei com um cara… Mas eu nunca me imaginei com uma mulher também…

— Falando nisso, que sorte e tanto você tem com blackouts, hein — mencionou Karina, casualmente.

— Como assim?

— Tipo, semana passada você tava dando uns pegas com teu macho. E durante aquele blackout uns anos atrás, você aprendeu a…

— Aaaah! — gritou Lin, do nada, acenando as mãos para calar a amiga o mais rápido que podia.

— Ei, não se mova assim! — reclamou Karina, tirando o pincel de longe do rosto do homem. — Quase arruinei a sua maquiagem!

— P-Por que tá f-falando daquela noite…? Eu falei para esquecer daquilo e nunca mais tocar no assunto…

Quando a surpresa dela passou, Karina riu e acenou a mão para deixar para lá.

— Não tem como eu esquecer daquilo. Pensando bem, faz muito sentido. Como nunca percebi? Você tava bem com um de borracha porque conhecia o negócio ao vivo, né? Sabia que era estranho. Mesmo bêbado, não tem como um hétero se deixar ser pressionado pelas meninas e aprender como alegrar um homem com a boca treinando num…

— Cala a boca! Para de falar nisso! — interrompeu Lin, desesperado. Ele olhou para a parede que dividia com o Thomas. — E se ele ouvir?

— Hã? E daí? Tenho certeza de que ele vai ficar feliz em ouvir isso. Especialmente se mostrar pra ele o quão bem você consegue deixar teu macho com o que aprendeu naquela noite com a gente.

Com um rosto de um tom alarmante de vermelho, Lin não disse nada enquanto Karina ria e terminava a maquiagem.

Essa noite vai ser mais longa do que eu pensei… e agora não consigo parar de pensar em coisas estranhas com o Tom… Não importa o quanto ele tentasse, Lin não conseguia parar de imaginar uma continuação para a cena de antes.

Após Thomas confessar seus sentimentos, Lin estava de joelhos, pronto para fazer o que foi pressionado a aprender pelas meninas com um membro de verdade em vez de um de borracha pela primeira vez.

— Você está lindo demais, Lin! Não quero me gabar, mas é apenas a verdade. Sou foda por te deixar assim. Sei que deveria ter seguido a minha paixão e virado uma maquiadora em vez de fisioterapeuta.

Lin se virou para o espelho na mesa. Nem ele acreditava em quem olhou de volta. Eu estou… uau… Não é a primeira vez que uso maquiagem, mas nunca pensei que só um pouco me deixaria tão… Até ele tinha dificuldades para se descrever.

— Valeu, Karina. Serio memo. Não gosto de falar isso, porque só vai inflar mais seu ego do tamanho de um prédio, mas você é demais. Seria uma ótima maquiadora.

— Obrigada, meu caro! E, ei! Meu ego não é tão grande assim!

— É só a verdade. — Lin não conteve o riso.

— Ah, é? — Com um sorriso malicioso, Karina foi até a mochila e pegou algo de dentro. — Então seja honesto e coloque isso.

Quando ela mostrou as roupas, Lin parou de rir. O rosto dele ficou vermelho e ele teve dificuldade só para olhar as roupas.

— Essa… calcinha não é muito erótica…?

Karina queria que ele usasse uma lingerie preta de seda.

— Acho que é perfeita pra alguém como você. É elegante e sexy, a melhor pedida pra conseguir fisgar o teu macho hoje. Se mostrar isso ao Tom, ele não vai resistir.

Lin brincou com os dedos, focado em suas mãos.

— Acho que é muito pequena… pro meu… você sabe — murmurou ele, com uma voz totalmente embaraçada.

O sorriso de Karina sumiu e o rosto dela ficou sem expressão enquanto ela olhava para a peça de roupa.

— Ah, droga… Eu só pensei no vestido e esqueci da roupa íntima, aí peguei uma das minhas calcinhas da sorte… Nem pensei no seu amiguinho aí embaixo…

— É sua? Você tem umas coisas incríveis, hein…

— Pois é. Essa gracinha aqui me arrumou umas noites inesquecíveis, é por isso que eu queria emprestar pra você hoje… — Karina sorriu ao se lembrar de algumas das noites, mas depois ela balançou a cabeça. — Mas isso não importa mais agora. O que você vai usar? Não pode ir sem calcinhas… Digo, até pode, mas seria coragem. Quando o Thomas te beijar, vai ser difícil esconder a barraca aí.

— Posso usar uma cueca…

— Sem chances — disse ela logo. — Um vestido e cuecas? E se alguém ver? Adeus disfarce.

— Ninguém vai ver…

— O Thomas vai ficar desapontado se você não usar calcinhas…

Lin desistiu enquanto Karina tentava pensar em uma solução. Depois o rosto ficou vermelho novamente.

— Eu tenho… algo… que posso… usar…

— Deixa as cuecas ou samba-canção pra lá. Não vou deixar você usar isso hoje.

— N-Não… Eu tenho… calcinhas…

Karina piscou algumas vezes. Depois, de olhos arregalados, ela se aproximou do rosto de Lin.

— Poderia elaborar como o meu amigo “hétero” tem roupa íntima feminina, por obséquio?

— Não complica… Lembra que eu fiz um cosplay de Sailor Moon umas semanas atrás? Eu precisei usar uma…

— Ah, sim. Aquela convenção otaku pro seu blog… Aí você comprou calcinhas pra si mesmo?

—… Sim…

Karina semicerrou os olhos e se aproximou.

— O que foi essa pausa…? — Um instante seguinte, ela arregalou os olhos e mostrou um sorriso de ponta a ponta. — Foi o Tom! Ele quem comprou pra você!

Lin desviou o olhar. Dava muita vergonha confirmar isso.

— Sem chance! Então o cara que você ama também te ama, romanticamente ou não, e comprou uma calcinha especial. Se vocês não foram feitos um pro outro, eu já não sei de mais nada.

— Para, vai…

— Eu tento, meu caro. Tento mesmo. Mas você não me deixa. Vou ser franca, mesmo se eu quisesse, não tem como eu inventar uma história melhor.

Sem falar mais nada, Lin foi para trás da porta do armário e trocou de roupa, colocando a calcinha e o vestido.

— Uau… você está um arraso! Já era meio afeminado, mas agora… tais o homem mais lindo de vestido que já vi! O Thomas não vai conseguir tirar as mãos de você! — disse Karina, assentindo e cantarolando em consentimento.

— Obrigado… Eu acho… Mas é meio estranho fingir ser a namorada dele de novo… Na verdade, acho essa pode ser a primeira vez.. Eu sei que não enganei ninguém naquelas festas… Todo mundo já sabia quem eu era e que só estava me transvestindo…

— Então todo mundo pensou que vocês eram só um casal gay em que um dos dois estava de vestido? — Karina riu da reação do amigo. — Falando sério agora. Nenhum de vocês precisa se preocupar em fingir nada. Apenas ajam como sempre. Já são um casal. Espera, já que vocês vivem juntos, tão mais para casados. Daqueles recém-casados cheios de amorico.

Lin não disse nada. A ideia de sua vida atual com o Thomas parecer a de um casal recém-casado já tinha surgido em sua cabeça uma ou duas vezes, embora ele tivesse ignorado. Para ele, era apenas divertido fazer as coisas com o melhor amigo. E, além de tudo, ele adorava ter o Thomas por perto para apoiá-lo quando precisava.

Karina ajeitou algumas mechas de cabelo no penteado de Lin, que estava amarrado em um coque elegante com um grampo. Depois o homem estava pronto para fingir ser uma namorada naquela noite.

— Lin, estou pronto. — A voz de Tom veio o outro lado da porta.

Ele acabou prendendo o fôlego por um instante.

— Eu também…

Sem esperar por um ok, Karina abriu a porta, sorrindo de ponta a ponta.

— Olha, Tom. Você vai amar isso! Eu tratei de te preparar o melhor e mais fofo par!

Lin saiu do quarto lentamente. Ele estava tão focado nos saltos que precisou de um instante para perceber a surpresa óbvia de Thomas. Essa expressão significa que ele gosta da minha aparência? Ou estou velho demais para me vestir de mulher?

— Q-Que tal..? — perguntou, colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha, com o rosto vermelho.

Enquanto esperava pela resposta, seu coração bateu mais rápido. Sei que só estou fingindo ser a namorada dele, mas eu não deveria estar tão nervoso… É tudo culpa da Karina por ficar falando naquilo…

— Você tá… está… demais… — disse Thomas após um tempo.

— O-Obrigado… — Lin corou e sorriu, seu coração batendo mais forte. Aquelas palavras eram o bastante para fazer todo o trabalho valer a pena. Ele acha que tô demais!

— Né! Na maior humildade, eu sei que sou foda, mas até eu fiquei chocada com o rapaz. Você não tem ideia do tanto de preparativos que ele teve. Passei um dia todo arrumando as sobrancelhas, fazendo as unhas, a maquiagem, depilando a perna, a área da virilha. — Karina murmurou o final.

— A o quê? — perguntou Thomas.

Lin se virou para Karina na mesma hora. Por que você está falando disso?

— Trate de apreciar isso, Tom! — disse ela, meio brincando, meio séria.

— E-Eu vou… Pode confiar…

— P-Pare de me encarar assim — disse Lin, corando mais. — Dá vergonha…

— Foi mal… É só que… Você está incrível…

— É que nem na noite da sua formatura, né? — disse Karina, erguendo as sobrancelhas.

Tanto Lin quanto Thomas ficaram muito vermelhos ao mesmo tempo.

— D-Do que você está falando? — perguntou Thomas, tentando manter a voz casual.

— Eu sei o que aconteceu. O Lin foi como o seu par naquela época também, não foi? Ele me mostrou as fotos.

— E-É… N-Na verdade, ele tá ainda mais lindo do que naquela noite — disse Thomas. — Ele tá mais maduro… mais… demais…

— Você consegue mais palavras no seu vocabulário, Tom — disse ela, rindo.

— M-Melhor não. Vamos parar de falar nisso e ir. Não queremos nos atrasar — disse Lin.

Se ela continuar de falando, o Tom vai descobrir sobre as coisas que a gente ficou conversando… Ele não precisa saber no que estou pensando…

Não agora…

— Sim. Deixem as coisas de pombinhos apaixonados pro casamento. Não que importe, vocês já são um casal e tanto — brincou Karina, seu sorriso malicioso demais para o amigo.

Ignorando ela, Lin foi para a porta. Depois percebeu o nó torto na gravata do Thomas e mostrou um sorriso enquanto se aproximava do homem que amava.

— Você não toma jeito, hein.

— Q-Quê? — perguntou Thomas.

Sem dizer nada, Lin desfez a gravata e a arrumou.

— Não sei o que você faria sem mim.

— Nem eu — admitiu Thomas.

Lin arregalou os olhos, e seu coração bateu mais rápido. Pare com essa reação… É fofa demais, eu vou corar também…

— É a minha deixa. Divirtam-se. De várias formas. Mas lembre-se de tomar cuidado — disse Karina antes de sair do apartamento, dando um olhar com outras intenções para Lin.

Houve um silêncio estranho enquanto os dois trocavam olhares. Depois ambos riram em coro.

— Karina sempre faz piada e diz coisas nada a ver… — Por isso preciso proteger você dela…

— É… Mas é bom agradecermos ela… Você está dema… — Thomas se interrompeu e sorriu.

— Obrigado… M-Mas é melhor irmos…

— S-Sim…

Com o rosto vermelho, Thomas segurou a mão de Lin gentilmente e o levou pelo apartamento.

Lin apertou os dedos, e então algo cruzou sua mente. Só andar de mãos dadas com Thomas era o bastante para fazê-lo feliz.

Eu nunca quero soltar essa mão, pensou, com as maçãs do rosto ficando vermelhas.

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Obrigado por lerem
Espero que tenham gostado.

Até sair o próximo cap, curtam outras histórias BL como Por Favor Me Chame de Professor e O Nadador e o Assistente

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Casado? and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to [PT] Casado (♂x♂)? 26

  1. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 25 | PHMMoura

  2. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 27 | PHMMoura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s