[PT] Casado (♂x♂)? 25

Quase que não tem cap hoje por causa do São João. Mas ainda bem que saiu XD
Espero que gostem do cap

English readers, here’s the english version

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Casado (♂x♂)? 25

— Fica parado — Karina disse de novo. Depois ela soltou um suspiro frustrado. — Não precisa ficar rígido também. Relaxa.

— Foi mal. Não tô acostumado com isso — desculpou-se Lin, arriscando abrir os olhos por um instante.

— Eu avisei para não abrir os seus olhos até eu mandar. — Ela suspirou de novo e tirou o lápis do rosto do amigo. — Pra que esse nervosismo todo? Não é como se nunca tivesse se travestido e usado maquiagem pro teu macho.

— Eu sei… é só que… isso parece… diferente… por alguma razão… E não fale que ele é meu macho… é estranho…

— Mas ele é o teu macho. Por que dessa vez é diferente, hein? — Ao ser pressionado, Lin desviou o olhar. Karina se aproximou para ficar na frente dele e não deixou espaço para o rapaz olhar além dela. — Isso foi bem suspeito. O que tais escondendo de mim?

O loiro soltou um suspiro de derrota.

— Não quero te contar porque você vai fazer uma tempestade num copo d’água…

— Parabéns. Isso só me deixou ainda mais curiosa. Desembucha.

— Como eu disse, não é nada demais, só que eu e o Tom… meio que… nos beijamos semana passada — sussurrou Lin, as maçãs do rosto vermelhas, e não era por causa da maquiagem.

— Quê? — gritou Karina.

— Cala a boca! Não fala alto! — Lin cobriu a boca da amiga com as duas mãos.

— Cuidado com as suas unhas! E por que não é pra falar? Não é como se ele não soubesse que vocês se beijaram… Ou você tascou um beijo quando ele estava dormindo? Que feio, Lin. Muito pervertido. E um pouco excitante até.

— Claro que… não…. Ah, é por isso que eu não queria te contar… Foi só um beijo… — Lin estava prestes a cobrir o rosto com uma mão quando a Karina o segurou pelo punho.

— Não toque no seu rostinho ou vai arruinar a maquiagem — disse ela, séria e de olhos arregalados.

— Desculpa…

Essa velocidade com a qual ela troca de expressão é de dar medo, pensou Lin.

Karina só o soltou quando ele abaixou a mão. Depois ela sorriu, cruzou os braços e assentiu, cantarolando, tudo ao mesmo tempo.

— Estou muito feliz por você ter conquistado teu macho. Sabia que tinha caroço no angu aí. Eram muito casalzinho, entende? Só estou feliz por ter finalmente saído do armário com isso. Eu gosto de ver os dois juntos. Nunca vi um casal que ama passar tempo um com o outro como vocês, sabe?

— Pela milésima vez, não estamos namorando. Somos só… bons amigos… Não sei por que você não vira o disco… — Lin corou novamente.

— Ah, jura? Eu que estou errada? — Karina não se deu ao trabalho de esconder a descrença na voz. — Sendo assim, por favor, me explique como dois supostos héteros, que são apenas dois amigos, acabaram se beijando.

— É difícil de explicar… — Lin desviou o olhar, tentando ganhar um pouco de tempo. Embora não tivesse ideia de por que quis beijar Thomas naquela noite. — Nós… eu falei que a gente precisava praticar… por causa do casamento, sabe, e a gente… acabou sendo levados pelo momento…

Embora ele forçou um sorriso amarelo, Karina não comprou aquela desculpa.

— Tudo bem… Tá… Sendo franca, eu provei do fruto quando estava na faculdade. Lembra da portuguesa? A gente deu uns pegas numa festa uma vez. E só. Nunca senti a vontade de beijar outra garota do nada.

— Você beijou ela? — perguntou Lin, com a voz toda interessada. — E você sempre rejeitou os caras da faculdade…

— É, mas não tenta mudar de assunto. Vai, conta. Por que beijou teu macho?

— Estou falando a verdade… A gente se deixou levar pelo momento… E o Tom não é o meu macho…

— Beleza. Se é assim, me conta do momento. Como foi essa noite que te fez querer beijar o seu melhor amigo? — Ela estreitou os olhos e ergueu o queixo, como se fosse um psiquiatra de filme.

— Foi durante o apagão geral semana passada… Já que estava quente então a gente trouxe os colchões para a sala… Tentamos dormir, mas nenhum de nós conseguiu… Aí começamos a falar do passado… da última vez que dormimos numa sala e tal…

— Entendi… e aí? O que rolou? — Karina apressou Lin. — Como dois héteros acabaram tendo um beijo apaixonado?

— Como você sabe que foi apaixonado? — Lin perguntou na mesma hora. No segundo seguinte, ele viu um grande sorriso no rosto da amiga e se arrependeu. Eu e a minha bocona. Ele estava prestes a levar a mão para o rosto, mas Karina segurou os pulsos dele de novo.

— Agora eu sei que foi. Mas, vai, continua, por favor. O que aconteceu na última vez que vocês dormiram juntos em uma sala?

Com o rosto ficando mais quente, Lin desviou o olhar.

— Na última vez… a gente se beijou também… foi o primeiro beijo dos dois…

Ele esperava que a amiga gritasse. Ou mostrasse um grande sorriso. Ou ao menos a cara de “eu sabia” dela. Porém, contrário a suas expectativas, Karina ficou quieta, só olhando para ele.

— Entendi… Vamos recapitular tudo. Você, meu amigo, perdeu o BV com o Thomas, que também perdeu o BV contigo. Aí, semana passada, só por causa do casamento, vocês dois se pegaram. É isso?

— S-Sim… —Lin não conseguiu encarar os olhos de Karina.

É meio estranho quando ela explica desse jeito…

— Então, dois supostos héteros se beijaram pela segunda vez só pra praticar?

— Hum…

— Espera, o que foi isso? — Karina se inclinou de lado para poder ver o rosto de Lin. — O que foi esse “hum” de agora? Tá escondendo mais de mim?

— N-Não…

— Espera… Por acaso não foi a segunda vez que vocês dois se beijaram…?

Lin pressionou os lábios e tentou desviar o olhar, mas os olhos arregalados de Karina o seguiram. Quando ela mostrou outro sorriso imenso, ele sabia que ela havia entendido.

— Mentira! Vocês transaram!

— Não grita!

— Vou falar baixo se você puder me explicar como foi, quando e, mais importante, como dois caras héteros transaram, ou, como você prefere, fizeram amor.

— A gente não… fez amor… — A voz de Lin foi sumindo conforme ele corava.

— Vocês se amam. Como amigos, segundo você, ou tanto faz, mas, ainda assim, não muda o fato de que vocês transaram.

Não importa o quanto tentasse, Lin não conseguia pensar em qualquer argumento. Ele estava prestes a cobrir o rosto quando Karina agarrou sua mão pela terceira vez.

— A maquiagem.

O loiro resmungou e suspirou.

— Agora, explique-se.

— A gente… se divertiu bastante na festa de formatura… e bebemos… só um pouco, não é como se a gente ficou bêbados nem nada… Foi no meio da madrugada quando voltamos pra casa dele… e aí… os meus pés doíam por causa dos saltos e quando eu tirei, caí. O Tom me segurou nos braços, mas a gente acabou caindo na cama dele. Olhamos nos olhos um do outro, nos beijamos… Não foi nada sério… foi um beijo de leve… Mas aí…

— Se entregaram ao prazer do corpo do outro? — Karina terminou de falar. Apesar do que dizia, ela estava séria.

— Não… Tipo, sim… Não foi bem assim… — Lin ficou mais vermelho. — Eu sabia que ele tava chateado porque ia começar a faculdade e ainda era virgem… Aí eu disse que era normal, mas ele ainda estava chateado… e então, eu… eu disse que não me importava de ajudar ele com isso…

— Não se importava de ser a primeira vez dele? — Karina não fez nada para esconder sua descrença de novo. — E ainda diz que é hétero?

— Não teve nada a ver com ser gay ou hétero… Era ele, o Thomas, o meu melhor amigo… o cara quem conheço há vida toda… Ele estava chateado com algo, e eu podia ajudar ele… Só isso… — Lin brincou com os dedos e desviou o olhar.

— Sei bem. Você ama tanto ele que faria qualquer coisa pelo seu macho, não, pelo seu Thomas — disse Karina com um sorriso gentil, que depois ficou malicioso. — E isso acaba de responder uma outra pergunta que eu ia fazer…

— Qual?

— Você foi o passivo.

— Por que você ia querer saber disso…? Não faz qualquer diferença… — Lin resmungou e ficou vermelho de novo.

Karina ficou quieta por um instante, pensando. Depois ela deu de ombros.

— Por nada. Mas é bom saber. E ver você vermelho não tem preço.

Quando ele reclamou de novo, ela deu um abraço nele, mas tomou cuidado de não estragar o cabelo ou maquiagem.

— Não precisa ficar com vergonha. Eu brinco, mas é porque te adoro. E falo sério quando digo que vocês formam um casal fofo.

— Já falei que não somos um casal…

Karina ficou quieta por um instante, olhando nos olhos de Lin com uma expressão séria.

— E se ele quisesse?

— Que…?

— E se o Thomas quisesse ser o seu namorado? E se ele dissesse que te ama mais do que amigo e quisesse que vocês se tornassem um casal? — perguntou ela em voz baixa. — O que você diria?

— Eu…

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Obrigado por lerem
Espero que tenham gostado.

Até sair o próximo cap, curtam outras histórias BL como Por Favor Me Chame de Professor e O Nadador e o Assistente

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Casado? and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to [PT] Casado (♂x♂)? 25

  1. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 24 | PHMMoura

  2. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 26 | PHMMoura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s