[PT] Casado (♂x♂)? 10

Oi pessoal XD
Segunda é dia desse casal extremamente fofo.
Espero que gostem do cap

English readers, here’s the english version

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Casado (♂x♂)? 10

Ao menos hoje não foi tão ruim, pensou Thomas enquanto dirigia para casa. Apesar da cabeça estar doendo.

Quando parou em um sinal vermelho, ele esfregou as têmporas. Sinto que minha cabeça vai explodir. Graças a Deus que não foi nada como o outro dia… Eu odiaria perder mais tempo graças a algum idiota…

Só quero ir pra casa, comer a comida deliciosa do Lin e jogar videogame até cair. Com sorte, só vou acordar pro jantar amanhã.

Jantar… O que será que o Lin preparou pra gente hoje… Enquanto pensava na comida, o estômago de Thomas grunhiu. Droga… pensando bem, eu só comi aquela barrinha de cereais desde o almoço…

Quando o sinal ficou verde, ele acelerou, tentando chegar em casa o mais rápido que podia para comer a deliciosa comida que o Lin preparou só para ele.

Quando pensou nisso, um sorriso se fez em seu rosto. Até o Lin se mudar, eu só pensava em chegar em casa pra ficar jogando. Agora o que eu mais quero é ver ele.

Mas, ao virar numa esquina, ele parou; havia um grande engarrafamento na sua frente.

Ah, maravilha… bem o que eu precisava pra melhorar o dia, pensou Thomas, sua cabeça latejando ainda mais enquanto mandava uma mensagem para o homem esperando-o em casa.

Ele chegou uma hora e meia mais tarde que de costume.

Ao descobrir o motivo, o programador só ficou mais irado. A porcaria de um ônibus quebrou sabe-se-lá onde e trava a cidade toda. Que merda é essa?

— Lin? — perguntou Thomas ao destrancar a porta.

Não havia nada que ele quisesse mais do que ver aquele sorriso. Tinha o poder de melhorar seu dia. Para sua surpresa, e tristeza, não houve resposta.

Ele pegou o celular e xingou ao ver que estava sem bateria. Te lasca vei… É por isso que ele não respondeu minha mensagem…

Depois de colocá-lo para carregar, ele tomou um longo e demorado banho gelado para tirar o estresse do dia do corpo. Quando saiu, ele ligou o celular e viu uma mensagem de Lin.

Vou beber com uma amiga. Seu jantar está no micro-ondas. Aqueça por um minuto. Espero que goste.

Só essas palavras colocaram um sorriso nele. Sempre posso contar com o Lin.

Ao ver o jantar, ele sua felicidade aumentou um bocado; era lasanha, um de seus pratos favoritos. E havia um recado escrito a mão sobre a comida.

Você tem se esforçado bastante, por isso fiz sua comida favorita. Mas não se preocupe, é saudável.

Thomas sentiu-se muito satisfeito enquanto esquentava a comida e relia o recado. Tenho tanta sorte de ter alguém como o Lin na minha vida. Ainda que a gente não seja um casal, ele é a melhor esposa que já mereci. Espero que eu seja um bom marido para ele.

Ele comeu porções generosas, apreciando a refeição cheia de amor até a última mordida.

Após terminar de lavar o prato, ele se sentiu um homem novo, foi como se seu dia horrível no trabalho nunca tivesse acontecido.

Mas, ao sentar no sofá para jogar, seu celular tocou.

Ah, droga… A irritação era clara em seu rosto, mas desapareceu assim que viu quem ligava. É minha esposa.

— E aí, Lin — disse Thomas com a voz toda feliz. — Acabei de comer a lasanha. Estava deliciosa.

— Alô, é o Thomas, colega de quarto do Lin? — falou a voz de uma estranha.

— Sim, é o Thomas — disse, sentando na posição certa de repente. Estou com um mau pressentimento…

— Sou uma amiga do Lin. Não sei se você ficou sabendo, mas a gente foi beber hoje…

— Sim. Ele me mandou uma mensagem. Aconteceu alguma coisa?

— Sim… nós…

— O que foi? O Lin está bem? — Seu coração bateu tão rápido que chegava a doer um pouco. Ele se levantou e procurou pela chave do carro e carteira.

— Ele está. Só bebeu demais e, bem… poderia vir buscá-lo?

— Estou indo. Diga onde é.

Pensando no pior, Thomas colocou algumas roupas e correu até onde Lin estava.

— Lin! — gritou assim que entrou no bar, atraindo olhares de todos. — Estou aqui!

— Thomas! — Uma mulher foi até ele.

— Cadê o Lin? — perguntou, com pânico. — O que aconteceu? Como ele está?

— Ele está bem… Tipo, ele bebeu muito e agora só… bem, só vem — disse ela, levando-o até os fundos do bar.

— Tom! Estou tão feliz que esteja aqui! Venha beber comigo! — disse Lin assim que viu seu melhor amigo. Ele acenou com uma garrafa de cerveja, quase caindo do banco.

— Oi, Lin. Como está? — Thomas correu para ajudar caso Lin caísse.

— Tô bem! — O loiro mostrou um sorriso, seu rosto vermelho por causa do álcool. — Que bom que você está aqui. É um dos poucos que não me julga por ser um perdedor.

— Quê? Um perdedor? — Aquilo o pegou desprevenido. — Tá falando do quê? Você não é um perdedor.

— Sou sim. Tenho dois diplomas, mas estou desempregado. Não é hilário? — Ele soltou uma risada sem graça e seca. Depois gritou com tudo que os pulmões podiam. — Do que a gente chama gente assim? De perdedor! Um grande perdedor! Não concorda?

— Não, claro que não. Você não é um otário, Lin.

— Mentira. É tão engraçado, né? Eu me esforcei que só a misera na faculdade, consegui dois diplomas e agora não arrumo um maldito emprego! Enquanto isso, as pessoas que estudaram comigo já estão empregadas e felizes. Embora tenham sido estudantes piores do que eu! Não é hilário demais?

Lin riu o mais alto que podia. Mas as risadas se transformaram em soluços. Depois em lágrimas.

— Não acredito que não consegui outro emprego… — Lin começou a chorar sem se segurar. — Eu nem me lembrava de ter mandado currículo praquela clínica. Por que entraram em contato após tanto tempo se não iam me contratar?

O homem loiro agarrou Thomas e chorou ainda mais no peito do amigo.

Tudo que Thomas fez foi acariciar as costas da esposa, tentando confortar Lin o máximo que podia como o homem outro fazia por ele, ainda que inconsciente.

Enquanto os choros se transformavam em soluços, ele virou-se para a mulher.

— O que aconteceu? — perguntou Thomas em voz baixa.

— Ele tinha uma entrevista hoje… Mas não conseguiu o emprego…

Thomas podia sentir seu coração afundar. Eu nem sabia… merda… O Lin tem sido o sol da minha vida e eu mal consigo fazer algo por ele…

— Eu vou levar ele pra casa — disse ele para a mulher, colocando um braço debaixo da perna de Lin.

Com uma força que não fazia ideia de onde veio, ele ergueu o amigo mais precioso que tinha no mundo.

O Lin é leve, mas ainda peno pra conseguir carregá-lo… Sou patético… Não consigo nem bancar o bonzão na frente da minha esposa…

— Sinto muito por isso… Eu só queria saber como andavam as coisas com ele — disse a mulher, a culpa estampada no rosto. — Jamais imaginei que algumas bebidas fariam isso…

— O Lin… tem passado por muita coisa esses tempos… não arrumar um emprego tem sido difícil pra ele… especialmente já que ele quer ser independente logo…

— Eu deveria ter percebido… sempre que falamos o serviço na conversa em grupo, ele nunca diz nada — disse ela, olhando para o homem loiro que se acalmara e agarrara a camisa de Thomas. — Ao menos ele tem você.

— Como assim? — perguntou Thomas. — Não consigo fazer nada pra ajudá-lo…

— O Lin disse que você o apoia muito. Se não fosse você, ele estaria com uma depressão séria. É bom que você tenha ficado com ele.

— Sou eu quem deveria agradecer por tudo que ele faz.

Com a ajuda dela, Thomas colocou Lin no assento do passageiro e apertou o cinto nele.

Thomas tirou um pouco de dinheiro da carteira e entregou à moça.

— Isso deve cobrir pela parte do Lin.

— Ah, não precisa…

— Ele se sentiria mal se souber que não pagou — insistiu Thomas.

Ela mostrou um sorriso amarelo.

— Você tem razão — disse, aceitando o dinheiro e colocando no bolso de trás do jeans. — Por favor, cuide bem dele. Ele é bom demais pra este mundo.

Então ela se despediu e voltou ao bar para pagar.

Thomas entrou no carro e dirigiu com cuidado.

— Lin, eu sei que não posso fazer muito para te ajudar, mas quero que se lembre que sempre estarei aqui por você.

Apesar de estar meio sonolento, Lin agarrou a manga de Thomas e não soltou enquanto ele dirigia até a casa dos dois.

Capítulo anterior Próximo Capítulo

Obrigado por lerem
Meio curtinho mas espero que tenham gostado
Se gostaram de Casado (♂x♂), leiam alguma das minhas outras histórias BL Por Favor Me Chame de Professor e O Nadador e o Assistente

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Casado? and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

1 Response to [PT] Casado (♂x♂)? 10

  1. Pingback: [PT] Casado (♂x♂)? 11 | PHMMoura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s