[PT] Re;Blade 8

Oitavo cap de Re;Blade.
Depois da morte de Fael, o que será de Tetsuko?
Espero que gostem do cap

 

Capítulo Anterior                                           Menu                                           Próximo Capítulo

Capítulo 8 – De volta

Antes de abrir os olhos, Tetsuko sentiu como se seu interior estivesse sendo rasgado.

Se ainda tivesse uma boca, ela teria gritado de dor.

Mas, assim que a sensação ficou insuportável, se fora.

Arfando, ela tentou controlar sua respiração.

Espera… respirar…? Como eu, uma espada, posso respirar…?

Mas, lentamente, ela respirou fundo, enchendo seu pulmão de ar.

Ela sorriu e não conseguiu suprimir sua risada.

Para sua surpresa, escutou uma voz. Sua própria voz.

Aquilo a fez rir ainda mais. O som era nostálgico aos ouvidos.

Pensei que jamais poderia escutar minha voz novamente, pensou, sentindo o ar gelado em suas narinas.

Parece que não faço isso faz tanto tempo…

Após se entediar com aquilo, Tetsuko tentou abrir os olhos.

De novo, para sua surpresa, ela tinha olhos. E eles abriram.

A última visão da qual se lembrava mudou.

O carrinho sumiu, o escuro céu estrelado foi substituído por um teto de madeira escura.

Onde estou…?

Já fui vendida enquanto dormia?

Ela olhou em volta, mas sua cabeça era pesada demais para se virar.

Pesada…? Eu…?

Ela tinha seu tato.

Tetsuko podia sentir algo duro e frio contra a ponta dos dedos, contra suas costas.

Com essa sensação estranha, ela ergueu a mão esquerda e notou que tinha uma mão para erguer.

Ela encarou a mão, sentindo um soco frio no estômago enquanto virava o membro.

Sem qualquer reação, ela abaixou a mão que só tinha dois dedos.

É a mão do meu corpo… este é o meu corpo… meu corpo velho, Tetsuko falou para si mesma, tentando acreditar no que dizia.

Estou de volta ao meu mundo, chegou a essa conclusão.

Assim que sua mente aceitou isso, ela olhou em volta novamente, sem reconhecer o lugar.

Se não sou mais uma espada, onde estou?

É o que eu gostaria de saber, ecoou outra voz.

Se Tetsuko pudesse, ela teria se virado para encontrar a voz, mas ela também não tinha força restando no agora estranho e pesado corpo.

Calma, não precisa entrar em pânico, disse a outra voz novamente.

Então Tetsuko percebeu que não podia escutar a voz com suas orelhas velhas.

A voz vinha de dentro da sua mente.

Quem é você? perguntou Tetsuko.

Meu nome é Lia.

Lia…? Tetsuko não podia esquecer esse nome. Você é a alma par de Fael.

A ferreira sentiu a outra mulher se mexendo dentro dela.

Você conhece ele? Conhece o Fael?

Sim, Tetsuko falou dentro de si, com orgulho. Ele foi meu usuário por um curto período.

Ainda sem ver a outra mulher, ela sabia que Lia estava confusa pelo que dissera.

Tetsuko, então, explicou tudo o que acontecera a ela após morrer e se tornar uma espada em outro mundo.

Entendo, disse Lia, com a voz mais calma.

Você não parece muito surpresa com tudo isso.

A estranha voz em sua cabeça riu.

Depois do que aconteceu comigo, você não ficaria surpresa também, disse Lia após parar de rir.

Enquanto eu lutava por meu povo e o homem que amo, fui atingida por flechas e esfaqueada no estômago, disse ela cheia de arrependimento. Morri lá. Sei disso. Mas, ao abrir os olhos, eu não estava na Grande Floresta Eterna. Eu estava…

Aqui, no meu mundo, Tetsuko terminou o pensamento dela.

Sim. Acordei neste corpo mutilado que se parece muito com o meu em um mundo completamente diferente. Então eu não quero que fique surpresa demais quando eu digo que acredito que tenha se tornado uma espada no meu mundo.

Prometo que não ficarei, pensou Tetsuko, rindo. Então trocamos de mundos… tem alguma ideia de como?

Nenhuma, disse Lia, a voz ecoou dentro de Tetsuko. Será que é por que somos parecidas, assim temos algum tipo de conexão.

Será… temos as mesmas feridas…

Então você acha que nossas almas trocaram de lugar por causa disso?

Não sei… Pode ser que sim. Não lembro do momento em que morri.

Tetsuko tentou se lembrar, mas seus últimos momentos neste mundo pareciam embaçados.

Tudo que me lembro foi de rir e deitar no chão enquanto a chuva caía, disse ela para Lia.

Então nossas almas trocaram de lugar por causa de nossa conexão?

E já que você morreu…

Sua alma acabou na arma que me matou, Lia terminou o pensamento.

As duas ficaram em silêncio.

E, após um tempo, Tetsuko tentou se forçar a levantar, mas o corpo se recusou a obedecer.

Ela desistiu, gemendo de dor.

Lia, já que sua alma estava neste corpo, consegue se mover? Foi por um curto tempo, mas é muito difícil me mover em um corpo humano agora.

Aquela idéia a fez pausar por um instante e depois rir.

Acho que eu realmente deveria me tornar uma espada.

Posso, mas com muito esforço, respondeu Lia. Já que não é meu corpo, não estou acostumado a isso. Este corpo também está muito machucado.

Entendi, Tetsuko decidiu ficar parada.

Não só porque cada movimento era difícil de fazer, mas também doía a ela.

O que aconteceu depois de despertar aqui?

Depois de acordar, eu senti dor. Muita dor. Não consegui me mover. Então pessoas estranhas apareceram. Perdi a consciência e aí acordei em um quarto estranho, disse Lia.

Um homem em especial continuou me visitando todo dia, mas, como ele falava em uma língua estranha, eu não consegui entende-lo. Sabia que estava preocupado comigo… com você. Acho que ele pensou que eu estava fraca demais para sequer compreendê-lo. Na vez seguinte, ele trouxe um curandeiro. Mas nem o senhor foi capaz de fazer a dor ir embora. Eu acho… A voz ficou quieta, mas Tetsuko entendeu.

Não precisa se preocupar. Sei muito bem que este corpo não tem muito tempo, disse a mulher que se transformou em espada.

Menos do que você pensa, a voz baixa de Lia ecoou no interior da ferreira.

Não precisa sentir pena de mim. Eu já morri antes. E mais…

Ignorando a dor forte, Tetsuko forçou-se a erguer os dois braços.

Um deles perdera toda a mão.

O outros só tinha dois dedos.

Com um gemido, o esforço de erguê-los ficou insuportável e ela abaixou os dois com um baque forte.

Não tem motivo para eu voltar a minha vida antiga. Ainda que este corpo não estivesse morrendo, eu preferiria ser uma espada.

Por que isso? perguntou Lia, sem conseguir esconder sua surpresa.

Porque, se não tiver mãos, não posso ser uma ferreira. E se não posso forjar espadas, prefiro me tornar uma.

Ainda que não pudesse ver, Tetsuko sentiu que a outra mulher quem dividia seu corpo sorria.

É uma determinação incrível, disse Lia.

Tetsuko sentiu toda a pena da outra mulher desaparecer.

Mas você deixará aquele homem muito triste, adicionou a alma par de Fael.

Que homem?

O com o longo cabelo preto que vem me visitar todo dia. Aquele que se preocupou com você. Apesar de não entender nada, me ficou claro que ele a ama.

Ah, você está falando do Souichirou…

Tetsuko pensou por um instante sobre um dos poucos homens, das poucas pessoas, com o qual ela se importava de verdade.

Embora seja um nobre, somos amigos desde que éramos crianças…

Ele ama você, disse Lia.

Eu sei… mas eu… eu era só a filha adotiva de um ferreiro. Não tem como o filho de um samurai poder se casar com alguém como eu. Até mesmo ser só amante dele era passar dos limites.

Samurai? repetiu Lia, a palavra era estranha e nova para ela.

Os guerreiros deste país. Acho que são como os nobres do seu mundo, explicou Tetsuko da forma mais fácil, e Lia compreendeu.

Mas Souichirou é um tolo, pensou a mulher com um sorriso gentil nos lábios. Ele sonha de impedir a guerra, apesar de ser fraco demais. Sonha com um mundo de paz e próspero a todos…

Ainda sorrindo, Tetsuko inclinou os dois dedos que restavam e sentiu a própria palma lentamente.

Ele costumava dizer que gostava das minhas mãos brutas… segundo ele, era a prova do quanto eu me esforçava…

Parece que você o amava também, disse Lia após um momento de silêncio.

Tetsuko fechou os olhos e respirou fundo, abrindo as mãos e deixando as memórias irem embora.

Acho que eu… não… eu amo ele… Mas não havia como ficarmos juntos.

Por que não?

Não somente por ele ser um nobre, e eu, uma ferreira, mas também por ele já ter uma noiva. Uma mulher com quem se casará no futuro, completou Tetsuko, sentindo a confusão de Lia.

Isso é estranho… Pela expressão preocupada dele, você é a alma par dele.

Se eu não tivesse ficado obcecada em criar espadas, quem sabe não poderia ter sido a alma par dele, admitiu a mulher, a dor a penetrava no peito.

Mas essa chance morreu antes mesmo de poder começar…

Ficar longe de seu parceiro é uma dor insuportável, disse Lia, mais para si do que Tetsuko.

Fael sentiu o mesmo… Eu vi na mente dele o quanto ele a amava.

Obrigada por dizer isso para mim, disse Lia, seus choros baixos ecoavam dentro da cabeça de Tetsuko.

As duas mulheres, que morreram e perderam seus corpos, que não podiam mais estar com seus amados, que perderam todo o seu mundo, tentaram confortar uma a outra.

Capítulo Anterior                                           Menu                                           Próximo Capítulo

Obrigado por lerem
Espero que tenham gostado.
Terça que vem tem mais

Se gostam da história e quiserem ajudar, me apoiem no Apoia-se e se inscrevam na minha lista de emails para não perder nenhuma novidade.

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Re;Blade PT and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to [PT] Re;Blade 8

  1. Pingback: [PT] Re;Blade 7 | PHMMoura

  2. Pingback: [PT] Re;Blade 9 | PHMMoura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s