[PT] Nadador 9

Aqui está a dose semanal de Cris e Nelson. É um pouco menor que o normal, mas bem divertido. Pelo menos eu gostei muito de escrever.
Espero que gostem.

Capítulo Anterior                                     Menu                                             Próximo Capítulo

O Nadador e o Assistente 9

— Puta que pariu! Como um filme pode ser tão ruim? — reclamou Nelson após saírem do cinema. — Não acredito que fui forçado a assistir outro desses filmes estúpidos de lobisomens e vampiros. Por que caralhos a única coisa boa no filme foi uma porra de visão? De quem foi essa ideia genial?

— Não dá pra discordar. Pensei o mesmo quando a mulher mostrou que era só uma visão. — Cris balançou a cabeça. Então arregalou os olhos e mal parecia conter seu sorriso. — Espera. Você disse que assistiu os outros? Então é um fã que está tentando esconder seu amor pela franquia?

— Eh… como eu explico? Posso dizer, com confiança, que meu acidente não foi tão doloroso quanto assistir todos os quatro filmes. — Nelson pressionou as duas mãos no rosto, esfregando os olhos. — Ei, agora que penso nisso, tenho a pior sorte com aquela franquia e assistentes.

— Hein? — Cris inclinou a cabeça, sem entender.

— Minha primeira assistente me fez assistir o primeiro filme — disse ele com uma voz arrastada, como se lembrasse de algo ruim. — Minha última alugou o segundo e me fez assistir para que pudesse me arrastar pro cinema e ver o terceiro. E agora você me fez ver o último…

Cris tentou manter uma cara séria, mas só durou um segundo enquanto ele ria.

— Não é incrível? Agora o ciclo está completo — disse, fazendo círculos no ar com os dedos.

Nelson olhou para ele, descrente, sem partilhar a risada.

— Dá pra perceber por que as mulheres e os gays gostam dessa franquia, mas por que meus assistentes parecem ter uma necessidade de me forçar a ver? Não sou masoquista, mas parece que atraio sadistas.

Cris mordeu o lábio para conter o sorriso. Não foi o bastante para esconder sua alegria, então ele cobriu a boca com uma mão.

— O quão surpreso você ficará quando eu disser que nunca gostei desses filmes também e nem assisti nada além do primeiro?

Nelson arregalou os olhos e respirou fundo. Então abriu e fechou a boca várias vezes, lutando com as palavras. Então soltou um suspiro frustrado.

— Então, se não for pedir muito, pode explicar porque me forçou a ver? — perguntou em voz baixa que não escondia sua raiva. — O quão sádico você é? Só assisti porque você ganhou no pedra, papel e tesoura. Não, pera. Acho que foi erro meu. Foi culpa minha por contar a um sádico que odiava o filme. No instante que você ouviu isso, seu rosto se iluminou como uma criança ganhando um prêmio.

Cris escutou Nelson enquanto fazia seu melhor para conter o riso. Quando o nadador terminou sua reclamação, o assistente lambeu os lábios.

— Tem um bom motivo para eu ter escolhido aquele filme. Um que não tem nada a ver com ser um sádico como pensa que sou — Cris adicionou rapidamente quando viu Nelson com vontade de interromper. — Mas antes de relevar isso, preciso contar algo muito importante a você. Só porque eu gosto e fico duro com caras sem camisa, não quer dizer que você pode jogar eles na minha cara e isso vai me satisfazer. Digo, não vou reclamar nem nada, mas isso não quer dizer que vou pagar só pra ver isso.

— E você ainda me obrigou a assistir… E fui eu quem pagou… — grunhiu Nelson.

— Gosto que meu entretenimento seja de qualidade — continuou Cris, como se não tivesse sido interrompido, embora houvesse um sorriso nos lábios. — Além disso, eu consigo minha cota de caras sem camisa gostosos todo dia.

Cris não disse nada mais. O assistente apenas ficou parado, sorrindo enquanto o nadador esperava.

— Tá. Você precisa de mais do que caras gostosos. Então por que me fez sofrer com aquilo?

— Ah… — O rosto de Cris se iluminou como se, de repente, se lembrasse, embora Nelson soubesse que ele só fingia. — Quase esqueci. Bem, o motivo que o fiz assistir foi porque um filme bosta é melhor do que um bom para o meu propósito.

— E qual seria esse propósito? Me irritar? Pois fique claro que conseguiu.

— Não, não, não. Nunca considerei isso — disse Cris, fingindo ser inocente, embora o sorriso malicioso não ajudasse. Embora ele tenha transformado em um sorriso alegre. — Eu só queria animá-lo!

Nelson nada fez, só observou o rosto que realmente acreditava no que dizia. O nadador tentou, mas era difícil ficar bravo com aquele sorriso.

— Um filme bom não teria sido melhor? — perguntou, resignado.

— Nem tanto. Pense. Prefere o quê? Falar de algo que gosta ou reclamar de algo que odeia?

Nelson pensou por um momento. Então suspirou e riu.

— É. Admito que você tem razão.

— Sei muito bem — disse Cris, convencido. — Portanto, vamos reclamar até cansar.

Nelson ficou em silêncio por um tempo, lembrando das coisas que odiava sobre o filme.

— Aquela cena na tenda. Como o cara pode ficar feliz com outro homem abraçando a esposa dele, vei? Que porra. E como alguém pensaria que um bebê feio daqueles era uma boa ideia? Aquela boneca podia tentar o papel de noiva do Chuck. Ah, merda. Agora que penso nisso, vou ter pesadelos por semanas.

— Isso, isso, isso — disse Cris, rindo. — Deixe o ódio fluir através de você.

Eles ficaram quase uma hora reclamando do filme.

— Sabe de uma coisa? —Nelson se inclinou de volta no banco e alongou os braços. — Estou melhor.

— Disponha. — O sorriso de Cris era mais de felicidade genuína do que autoelogio até o ponto que Nelson podia distinguir.

Nelson tirou o celular para conferir a hora.

— O que mais tem planejado para nós?

— Hum… Ainda tem tempo antes do jantar — disse Cris, puxando a mão de Nelson para conferir o celular também. Ele fechou os olhos e cruzou os braços. Então abriu os olhos e virou-se para o nadador com um sorriso alegre. — Já sei. Que tal o game station?

Enquanto as palavras chegavam a ele, os olhos de Nelson brilharam com interesse.

— Ah, vei. Faz anos desde da última vez que fui. Eu costumava ir todo ano durante o aniversário de um primo. Era massa — disse, as memórias o invadindo, o sorriso crescendo.

— Então vamos! — Cris se levantou e puxou Nelson pela mão.

Capítulo Anterior                                     Menu                                             Próximo Capítulo

Espero que tenham gostado. Se sim, me digam o que acharam.
Se inscrevam na minha lista de emails para não perder nenhuma novidade.
E me ajudem no Apoia-se. Estou querendo criar mais conteúdo e gostaria da ajuda de vocês

Até quinta que vem

About phmmoura

Just an amateur writer who wishes to share the world inside his head.
This entry was posted in Nadador and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to [PT] Nadador 9

  1. Pingback: [PT] Nadador 8 | PHMMoura

  2. Pingback: [PT] O nadador 10 | PHMMoura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s